/*-- Continue lendo --*/ .jump-link {margin: 10px; padding: 2px; font-size:20px;line-height:22px;font-weight: 300; font-family: sans-serif;Open Sans Condensed', sans-serif; width: 120px;} .jump-link a{ color: #76537b} .jump-link a:hover{ color: #8e8e8e}

30/11/2016

RESENHA: O MENINO QUE DESENHAVA MONSTROS - KEITH DONOHUE

Título Original: The Boy who Drew Monsters
Editora: Darkside
Páginas: 252
Onde comprar: Amazon; Submarino

    Vamos falar um pouco sobre o sobrenatural? Nunca fui muito de ler histórias de terror ( apenas Stephen King), mas quando vi todo mundo falando desse livro decidi dar uma chance também e ver o que achava e infelizmente acabei ficando decepcionada. 


"Imaginary friends often leave without warning"


    Jack Peter é um garoto de 10 anos que possui síndrome de Asperger e agorafobia. Diferente de muitos garotos de sua idade, Jack não sai de casa e passa todos os dias desenhando monstros junto com seu único amigo Nick. Nick e Jack são melhores amigos e sempre foram desde pequenos, mesmo quando surgiu em Jack o medo de sair de casa, seu amigo continuou ao seu lado. 
     Sendo diagnosticado dentro de casa, parece que Jack não estava fazendo nenhuma melhora o que acaba deixando seus pais preocupados, principalmente sua mãe. 

     A cada dia que se passa,o menino começa a se mostrar mais agressivo e sua obsessão por desenho começa a ficar mais forte, diversas coisas estranhas começam a acontecer dentro de casa. Como diferenciar o pesadelo/sonho do real? 
     Os pais de Jack começam a achar que estão ficando loucos, ouvindo barulhos que ninguém mais ouve, vendo coisas que ninguém mais vê, apenas os dois meninos. Quando Nick também começa a ouvir e ver coisas dentro do closet como bebês monstros escalando as paredes, a única explicação que Jack Peter chega são: monstros. A partir daí, a história começa  ir para um lado mais sinistro e cheio de mistério,. cada capítulo fazendo o leitor se perguntar até o final: O que é real e o que é imaginação? 



    Não vou falar que  o livro me encantou e que eu não conseguia tirar os olhos dele porque eu estaria mentindo.  A verdade é que o livro me decepcionou bastante. Demorei semanas para acabá -lo, o que não foi um bom sinal.
  Achei a ideia da história muito legal, mas o autor, em minha opinião, não soube desenvolver muito a história. Houve partes em que sim, eu me prendi, mas na maioria achei a história entediante. É um livro rico em detalhes e acho que foi por essa razão que fez com que eu ficasse entediada durante a leitura. 
    Em compensação não acho que o livro foi ruim, como eu disse, ele foi decepcionante. Esperava mais. Mas também não foi uma leitura péssima, simplesmente acabei não me prendendo a ela. 
       Por outro lado, QUE EDIÇÃO É ESSA? Como eu já disse uma vez com a resenha de The Kiss of Deception o carinho da Editora Darkside é simplesmente surreal. O livro além de ser lindo é capa dura, o desenho da capa em relevo e ainda vem com uma fitinha, clássica fitinha dos livros da Darkside. Sem palavras para essa edição maravilhosa. A única coisa que eu senti muita falta na ediçao foi o desenho que eles descreviam durante a história. Seria bem legal se tivesse desenhado entre as páginas, mas tirando isso, tudo fantástico.



    O que mais me chamou a atenção nessa edição foi as páginas no final onde o leitor tem um espaço para desenhar os seus pesadelos, seus monstros , suas lembranças, angústias, criaturas e sonhos. Achei que isso fez com que a edição e o livro se tornassem únicos. 



E você já leu o livro? O que achou? Comenta aqui em baixo o que achou da resenha. Adoro ler o comentário de vocês!