/*-- Continue lendo --*/ .jump-link {margin: 10px; padding: 2px; font-size:20px;line-height:22px;font-weight: 300; font-family: sans-serif;Open Sans Condensed', sans-serif; width: 120px;} .jump-link a{ color: #76537b} .jump-link a:hover{ color: #8e8e8e}

28/08/2016

RESENHA: CARTA DE AMOR AOS MORTOS - AVA DELLAIRA

Título original: Love Letters to the Dead
Editora: Seguinte
Páginas: 333
Autora: Ava Dellaira
Onde comprar: Submarino; Amazon



"Todos nós queremos ser alguém, mas temos medo de descobrir que não somos tão 
bons quanto todo mundo imagina que somos."


Esse livro tem tanta frase boa que foi muito difícil escolher apenas uma frase para por aqui na resenha. Que livro fascinante! A autora realmente sabe como escrever de verdade. 

    Laurel é uma garota de 15 anos que perdeu sua irmã recentemente. A perda da irmã faz com que sua mãe se mudasse para longe e agora era simplesmente ela, seu pai e sua tia na qual ela passava semana sim e semana não na casa. Tudo parecia desmoronar com a perda de May. 


    May era a irmã de Laurel. Ela era a irmã perfeita. Bonita, popular, legal. Laurel apenas queria ser como ela e até onde ela iria ir para se tornar a mais corajosa, bonita e legal como May? 
     Laurel começa a se culpar pela morte da irmã diversas vezes ao longo do livro. O que será que realmente aconteceu no dia que May morreu? 
    Com a perda de sua irmã, Laurel acaba mudando para uma nova escola, onde ela acredita que poderia 'recomeçar'. Uma escola onde ninguém saberia sobre seu passado, ninguém saberia sobre May, ninguém ficaria com pena dela e ninguém saberia o porquê May se matou e qual o grande segredo que Laurel esconde. 
      A história se passa por meio de cartas. Sim, cartas tipo 'As Vantagens de ser Invisível'. Mas ao invés de cartas ao um amigo distante, Laurel escreve cartas a pessoas que já morreram. Tudo começa quando a professora da nova escola de Laurel pede aos alunos para escreverem, de trabalho, uma carta a alguma pessoa que já morreu, e é aí que as cartas começam. Laurel começa a escrever milhares de cartas a famosos que já morreram ( tipo Kurt Cobain, Amy Winehouse) contando sobre o que está acontecendo na sua vida. O objetivo do trabalho era entregá-lo a professora, mas Laurel guardava segredos naquelas cartas que ninguém poderia saber, nunca entregou as cartas realmente. 
     Ao se mudar a nova escola, ela decide ser mais como May e fazer amizades mais 'diferentes'. É assim que Laurel conhece Hannah e Nathalie. 
    Hannah e Nathalie eram amigas antes de Laurel chegar. Hannah é aquela menina linda, ama cantar e sempre está saindo com diversos caras diferentes, provavelmente para se sentir amada, pelo fato dos pais dela terem morrido e ela morar com o irmão que tem diversos problemas de raiva. Enquanto Nathalie simplesmente é apaixonada por Hannah, e ela meio que 'finge' que não faz ideia que a menina está apaixonada por ela. Quando Laurel as vê, deduz de cara que seriam amigas. May teria a amizade delas. Se era para ser parecida com May, por que não fazer amizade com meninas que são totalmente o tipo de amigas que May faria?
        Lógico que na história não poderia faltar aquele romance né? Aí que chega Sky. O garoto que nunca fica em relacionamento, mas todas as meninas o querem. Aquele menino que é popular mas ao mesmo tempo não é popular. Óbvio que a nossa protagonista vai se apaixonar por ele.  Mas aí que entra o problema, o grande fato da Laurel mudar de colégio foi para que ninguém, ninguém mesmo conhecesse May. E o que acontece quando ela descobre que Sky conhecia May? Como eles se conheceram? 



     O livro é escrito super bem, a autora realmente me impressionou. Adorei o fato de ser escrito em cartas , e não apenas cartas para uma pessoa que você nunca ouviu falar mas sim para pessoas famosas que já morreram. As pessoas na qual ela escolheu para a história, não estão lá apenas por nome, mas sim fazem parte da história. As cartas vão sempre ter uma relação com a pessoa ( famoso/famosa) e sua história. 
     Em algumas partes achei o livro meio pesado, meio maçante no fato de tristeza. É um livro bem triste que vai te fazer chorar, rir e não querer parar de ler um minuto. Já deu pra ver que apesar de toda a tristeza que carrega eu super recomendo né? 


E você já leu o livro? O que achou? Vai na bienal? Comente aqui embaixo o que achou da resenha. Adoro ler o comentário de vocês! :)